PRODUÇÃO EM MINAS VOLTA A CRESCER

A produção industrial de Minas Gerais subiu pelo segundo mês consecutivo e, aos poucos, o setor vai retomando os níveis de atividade após a crise que abalou o País nos últimos três anos. Pesquisa Sondagem Industrial, feita pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), mostra que, em agosto, o índice que mede a produtividade do segmento foi de 54,9 pontos, superior à linha divisória de 50 pontos, que separa queda (abaixo) de crescimento (acima).

A melhora na produção foi registrada por empresas de todos os portes: pequeno (51,4 pontos), médio (55,1 pontos) e grande (57,0 pontos). O indicador de emprego, acompanhando a evolução no cenário econômico, também apresentou alta de 2,4 pontos na comparação com julho e fechou em 48,1 pontos. O valor ainda aponta recuo no número de postos de trabalho no Estado, no entanto, sinaliza que a sua intensidade tem sido menor.

Economista da Fiemg, Annelise Fonseca pondera que o progresso dos indicadores é um fator positivo, mas lembra que o cenário ainda não está consolidado. “A atividade industrial tem mostrado recuperação leve e gradual, e esses indicadores têm confirmado essa tendência. Mas apesar do indicador de produção ter apresentado uma melhora mais intensa, houve, por exemplo, um acúmulo indesejado de estoque, maior nas empresas de grande porte”, destaca.

Em agosto, o indicador de estoque efetivo/planejado ficou em 51,9 pontos, demonstrando um armazenamento de produtos maior do que o desejado. Para a economista da Fiemg, o número evidencia que as empresas estão tendo dificuldades em ajustar os estoques à taxa de consumo atual. Enquanto isso, a utilização da capacidade instalada da indústria mineira, em 43,9 pontos, ainda se encontra abaixo do usual, indicando grande ociosidade.

 

Investimentos – As quedas nas taxas de juros e a redução da inflação, entre outras medidas econômicas adotadas pelo governo em 2017, trazem, no entanto, maior otimismo e confiança ao setor, que está cada vez mais propenso a investir. Em setembro, o índice de intenção de investimentos da indústria mineira subiu 2,3 pontos e atingiu a marca de 49,5 pontos. O valor é o maior desde abril de 2014, quando o indicador bateu 50,2 pontos.

“Esse cenário de expectativas positivas, com confiança do empresário, influenciou nesta pesquisa a questão dos investimentos, cuja intenção foi maior entre as empresas de grande porte. Como as grandes indústrias têm aumentado a intenção de investir, isso é um fator positivo porque elas puxam toda a cadeia e contribuem para a recuperação da atividade”, analisa a economista da Fiemg. Neste mês, a intenção de investimentos dos empresários das indústrias de grande porte para os próximos seis meses alcançou 60,7 pontos.

O otimismo da indústria mineira também é revelado pelas expectativas do setor quanto à evolução da demanda (54,9 pontos) e das compras de matérias-primas (53,0 pontos).

Ambas com índices superiores aos 50 pontos, elas sinalizam a crença no crescimento nos próximos meses. A perspectiva dos empresários quanto ao emprego também vem subindo e, neste mês, chegou a 49,0 pontos. Fonte: Jornal Diário do Comércio