Fcac8ec532434a974b07082d91dbe898

Mineiros criam prótese em impressora 3D

Não é história de documentário nem tecnologia “de outro mundo”: a prótese fabricada a partir de impressão 3D e que devolveu as funções da mão a uma criança de três anos em Minas Gerais, na semana passada, é uma criação de dois empresários do Estado: Daniel Lopes e Rubens Lopes. Sócios da 3D Lopes, que há dois anos fabrica diferentes tipos de objetos a partir de 40 tipos de plástico, os empresários gastaram cerca de um mês para criar a prótese e presenteá-la a Maria Luiza Scheidegger, que nasceu com uma má formação no braço esquerdo. A peça enriquece o portfólio da empresa mineira, que já atende grandes empresas como Bosch e Braskem.

O cofundador da 3D Lopes, Daniel Lopes, explica que a ideia de produzir a prótese surgiu por acaso, quando seu pai e sócio, Rubens Lopes, conheceu a pequena Maria Luiza e sua mãe em um supermercado na Capital. Decidido a ajudar, ele colocou a família em contato com o filho, que prontamente iniciou o trabalho. “Ela me ligou no dia seguinte e marcamos um encontro no Laboratório Aberto do Senai. Fizemos as medidas e iniciei o processo a partir de um projeto disponibilizado na internet por uma ONG Internacional. Em um mês, já estávamos entregando”, explica.

De acordo com o empreendedor, a prótese funciona a partir do movimento do cotovelo da criança: quando ela abre e fecha essa articulação, os dedos da mão também abrem e fecham. Daniel Lopes explica que o preço de venda da prótese foi estimado em R$ 1 mil, mas essa primeira peça foi doada à família. Para ele, a transformação de conhecimento em um produto tão transformador como esse traz ainda mais certeza do trabalho que vem desenvolvendo como empreendedor. “Temos que estudar coisas novas, mas isso só terá valor se tiver um resultado prático e mudar a vida das pessoas”, destaca.

Daniel Lopes explica que o empreendedorismo surgiu em sua vida após a experiência de um intercâmbio no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos. Foi lá que ele teve o primeiro contato com uma impressora 3D. Ele voltou ao Brasil determinado a empreender nessa área. Como conclusão do curso de Engenharia Mecânica Aeronáutica, Lopes construiu uma impressora 3D simples e, a partir de então, passou a imprimir e vender objetos como chaveiros, peças decorativas e vasos de plantas.

Hoje, a 3D Lopes está sediada na Nascente, incubadora do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG), e já tem 11 impressoras de cinco modelos diferentes. A empresa atende cerca de 20 clientes, tanto pessoas físicas quanto jurídicas.

Entre os clientes estão dentistas, que encomendam protótipos de peças dentárias, decoradores, que encomendam peças decorativas, e estudantes de arquitetura, que demandam a impressão de maquetes. Entre as empresas clientes estão a Bosch, que encomenda protótipos de peças automotivas, e a Braskem, que demanda peças para brindes que são fabricadas a partir do polietileno verde, que é a matéria-prima da indústria.

O empreendedor não revela o faturamento da empresa, mas garante que o segmento da impressão 3D é promissor. De acordo com o empreendedor, uma das metas da 3D Lopes é comercializar impressoras. A última versão desenvolvida pelo empreendedor já está pronta para ser vendida, mas os sócios ainda precisam se estruturar para ter uma produção que atenda à demanda. Quando isso acontecer, a expectativa é vender 10 impressoras por mês. Fonte Diário do Comércio.