FATURAMENTO DA INDÚSTRIA CRESCE 5,8% EM MINAS GERAIS

Depois de cinco anos, o faturamento da indústria mineira apresentou o primeiro resultado positivo para janeiro. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o aumento foi de 5,8% e, nos últimos 12 meses, registrou a terceira elevação consecutiva, com um crescimento de 2,3%. Os dados são da Pesquisa Indicadores Industriais de Minas Gerais (Index) da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), divulgada ontem, e apontaram também aumento do emprego e do faturamento pelo segundo mês seguido na série livre de influências sazonais.

Ainda de acordo com o levantamento, a utilização da capacidade instalada (UCI) registrou elevação de 1,6% no primeiro mês deste ano frente a janeiro de 2017, assim como a massa salarial, que cresceu 2,3% e o rendimento médio, que aumentou 3,5%, no mesmo período. Apesar de apresentar quedas de 0,6% e 1,2% respectivamente, as horas trabalhadas na produção e o emprego apontaram a menor redução em cinco anos, nessa base de comparação. Em relação a dezembro do ano passado, o emprego aumentou 0,7%, as horas trabalhadas na produção, o rendimento médio e a UCI recuaram, enquanto a massa salarial permaneceu estável.

Para a analista de estudos econômicos da Fiemg, Annelise Rodrigues Fonseca, o resultado da pesquisa indica uma tendência de recuperação da atividade industrial observada desde meados de 2017. Ela atribui o crescimento do faturamento, principalmente, à melhora da atividade econômica no País de forma geral. “O que temos percebido é uma melhora gradual dos indicadores, acompanhando os outros índices de atividade econômica. O nível de inflação ancorado e a taxa de juros em queda contribuem para a melhora do contexto econômico, somado ao índice de confiança dos empresários, que estão com expectativas positivas para os próximos seis meses”, afirmou.

No ano passado, o setor extrativo mineral foi um dos principais responsáveis pela recuperação da indústria mineira e, para 2018, a expectativa é que segmentos como o de veículos automotivos e da construção civil alavanquem a expansão. As projeções da Fiemg para o faturamento neste ano são de um crescimento de 2,04%, puxado, principalmente, por um aumento estimado em 3,76% na produção física e um aumento de 2,57% no Produto Interno Bruto (PIB) do País. “A expectativa é que essa recuperação continue e fechar este ano com os índices em patamares positivos”, ressaltou Annelise Fonseca.

Capacidade instalada – Ainda sem uma recuperação significativa, a utilização da capacidade instalada (UCI) alcançou 79,1% em janeiro de 2018, após ajuste sazonal, uma elevação de 1,6 ponto percentual na comparação com o mesmo mês do ano anterior (77,5%) e queda de 0,2% em relação a dezembro (79,3%).

A analista de estudos econômicos da Fiemg destacou que o resultado está abaixo da média histórica de 83,2%, mas segue a tendência de retomada da indústria mineira. “Os meses de janeiro e dezembro são de baixa produção, pois nesse período as empresas concedem férias coletivas e há grande concentração de férias individuais. Por isso a variação não é muito significativa. Mas o resultado acompanha a recuperação gradual da atividade industrial do Estado”, avaliou. Fonte: Jornal Diário do Comércio