EMPRESARIADO DE MG ESTÁ MAIS OTIMISTA

O empresariado industrial mineiro está mais confiante e com expectativas positivas para os próximos seis meses, segundo apontou levantamento da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) divulgado na sexta-feira. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) de março foi de 52,6 pontos, indicando confiança pelo segundo mês consecutivo. Em fevereiro, o índice foi de 53,3. Em março de 2016, esse indicador ficou em 28,4 pontos.

Quanto à expectativa para os próximos seis meses, a sinalização otimista se repetiu pelo terceiro mês consecutivo, ficando em 55,8 em março; 56,5 em fevereiro e 53,7 em janeiro. Os indicadores variam no intervalo de 0 a 100. Valores acima de 50 pontos indicam empresários confiantes.

Empresas de grande porte estão alavancando o otimismo, com Icei de 55,1, enquanto as de pequenas e médias atingiram 50,6 e 49,7 pontos, respectivamente. Segundo a economista da Fiemg Annelise Fonseca, essa característica é positiva, já que a recuperação da indústria de grande porte “puxa” as demais empresas da cadeia produtiva. “Essa retomada se dá primeiro pela indústria de grande porte porque ela tem mais capacidade de adaptação, mais acesso a crédito”, disse.

Quanto a condições atuais de negócios, a percepção do empresariado mineiro se manteve pessimista em março, com 46,4 pontos. Mas, segundo Annelise, esse é o maior indicador desde fevereiro de 2013 (47,5). Em março de 2016, por exemplo, esse índice ficou em 28,4 pontos.

Também nesse quesito, os empresários das grandes empresas foram os mais otimistas, com 49,3 pontos. Os empresários das pequenas e das médias indústrias foram os que demonstraram maior insatisfação, com 42,1 e 44,9 pontos, respectivamente.

Em outro item do Icei, os índices da percepção do empresariado sobre as condições atuais de negócios da economia brasileira, economia mineira e da própria empresa ficaram, respectivamente, em 45,8; 42 e 47,5 pontos – todos melhores que os da pesquisa anterior.

Já a expectativa, nos próximos seis meses, para esses três setores, ficou da seguinte forma: economia brasileira, com 53,8 pontos; economia mineira com 49,4 pontos e empresa 57,9 pontos.

Segundo a economista Annelise Fonseca, mesmo com a pesquisa indicando otimismo seguido, ainda é necessário esperar mais um pouco para se falar em tendência da retomada da economia. A queda de juros e o nível de inflação mais ancorado, segundo ela, podem estar refletindo nos índices de confiança.

O Icei é uma ponderação que reflete a maneira pela qual os empresários avaliam as condições atuais e as expectativas em relação à economia brasileira e à própria empresa. Fonte: Jornal Diário do Comércio