DESEMPENHO DO SETOR PRODUTO MELHORA EM MAIO

Brasília – A indústria brasileira ainda apresenta baixos indicadores de produção e utilização da capacidade instalada, mas as expectativas dos empresários começaram a melhorar, de acordo com pesquisa Sondagem Industrial, divulgada na sexta-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

A produção da indústria brasileira subiu em maio para 45,5 pontos, ante 42,4 pontos em abril. Em maio de 2015, a produção registrava 41,7 pontos. Na metodologia da pesquisa, os indicadores variam de zero a 100, sendo que valores abaixo de 50 indicam recuo na produção. Porém, quanto mais próximos dos 50 pontos, menor a queda e sua disseminação entre os setores.

Com relação à utilização da capacidade instalada (UCI), a pesquisa mostra que a ociosidade no parque industrial se manteve estável, em 64%. Em maio de 2015, ela estava em 66%. O indicador que mede a UCI efetiva em relação à usual ficou em 35,1 pontos em maio, ante 34,7 pontos em abril. Em maio de 2015, ela estava em 35,6 pontos.

Apesar disso, a indústria manteve os estoques ajustados pelo sexto mês consecutivo. O indicador de estoque efetivo em relação ao planejado ficou em 49,8 pontos, ante 49,1 pontos em abril, próximo da linha de 50 pontos, o que indica estoques ajustados, segundo a entidade.

Já o indicador de evolução do número de empregados ficou em 43,7 pontos em maio, ante 43,3 pontos em abril, abaixo dos 50 pontos, o que sinaliza retração no mercado de trabalho. Em maio de 2015, ele estava em 41,4 pontos.

Expectativas – As expectativas dos empresários industriais melhoraram em relação aos próximos seis meses em todos os indicadores pesquisados. A expectativa em relação à demanda subiu para 51 pontos em junho, ultrapassando a barreira dos 50 pontos pela primeira vez desde fevereiro de 2015. Esse indicador estava em 47,8 pontos em maio e 46,7 pontos em junho de 2015.

As expectativas em relação à quantidade exportada atingiram 52,5 pontos em junho, ante 50,7 em maio e 48,4 pontos em junho do ano passado. O indicador de compras de matéria-prima subiu para 48,5 pontos, ante 45,7 pontos em maio e 44,1 pontos em junho.

Em relação ao número de empregados, as expectativas aumentaram para 45,3 pontos em junho, ante 43,6 pontos em maio e 42,1 pontos em junho. Em relação à intenção de investimento, as expectativas aumentaram para 41,2 pontos em junho, ante 39,4 pontos em maio e 43 pontos em junho do ano passado. A Sondagem Industrial foi feita entre 1º e 13 de junho com 2.456 empresas. (AE) Fonte: Jornal Diário do Comércio