CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO EM ABRIL É MENOS INTENSA

O empresariado de Minas mostrou otimismo em abril, mas com menor intensidade no comparativo com os demais meses de 2018. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), divulgado ontem pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), atingiu neste mês 53 pontos. No comparativo com março, quando o Icei foi de 56,5 pontos, o indicador recuou 3,5 pontos. De acordo com a economista da Fiemg Annelise Fonseca, o resultado pode estar refletindo a incerteza gerada pelo ano eleitoral. “Neste cenário, os empresários se mostram mais cautelosos”, considera.

Mas ela ressalta que, apesar da retração registrada, o índice vem se mantendo acima dos 50 pontos – o que indica otimismo – há oito meses consecutivos. Além disso, o resultado de abril foi o melhor para este mês em seis anos.

De acordo com o levantamento, os dois componentes do Icei registraram redução. O indicador que avalia as condições atuais de negócio mostrou pessimismo, ficando em 48,8 pontos em abril, com retração de 2,8 pontos no comparativo com março, quando ficou em 51,6 pontos.

“O indicador de condições atuais voltou ao patamar de insatisfação, o que não ocorria desde outubro de 2017, mas está em um grau muito próximo dos 50 pontos, ou seja, há certa estabilidade”, comenta Annelise Fonseca. Segundo o levantamento, apesar da redução, o índice foi o melhor para este mês desde 2011 (50,1 pontos).

Quanto às expectativas para os próximos seis meses, também houve retração, mas o índice continuou mostrando otimismo. Em abril, esse componente ficou em 55,1 pontos, com retração de 3,8 com relação a março, quando foi de 58,9 pontos. “O índice referente às expectativas perdeu intensidade, mas continua em patamar que aponta otimismo”, reforça a economista.

Ao longo do ano, o Icei vem sofrendo retrações. Em janeiro, o índice ficou em 57,7 pontos. Em fevereiro, o indicador caiu para 56,6 pontos; em março ficou em 56,5, e, em abril atingiu, 53 pontos. De acordo com Annelise Fonseca, esse movimento é considerado normal. “Geralmente, no começo do ano, os empresários mostram confiança mais elevada. Isso vai se ajustando ao longo do ano”, explica.

Porte das empresas – Levando-se em conta o tamanho das empresas, aquelas com índices mais positivos são as de grande porte, que atingiram Icei de 55,2 pontos em abril. Em seguida, estão as de médio porte (51,4 pontos) e pequeno porte (50,2 pontos).

Dentro das condições atuais de negócio, o Icei avalia a economia brasileira, a economia mineira e a própria empresa. Nesse caso, os empresários mostraram otimismo apenas quanto à situação de seu próprio negócio, que atingiu índice de 50,8. Economia brasileira e economia mineira mostraram, respectivamente, índices de 48,2 pontos e 44,6 pontos.

Em relação à expectativa para os próximos seis meses, a avaliação da economia brasileira atingiu 51,9 pontos; economia mineira ficou com 48,8 pontos; e a situação da própria empresa foi de 57,4 pontos. Fonte: Jornal Diário do Comércio