Commercial Lines Business Meeting

EXPECTATIVAS DOS EMPRESÁRIOS SÃO NEGATIVAS

A sondagem da Fiemg mostra ainda que os empresários industriais do Estado também têm expectativas negativas em relação à demanda, exportações, compra de matérias-primas e contratação de funcionários. Em todos os casos, os piores índices foram apurados junto às pequenas empresas.
O destaque ficou por conta das admissões, uma vez que este indicador ficou negativo em 40,5 pontos, 1,3 ponto abaixo do índice verificado no mês anterior. Conforme o gerente de Economia e Finanças da entidade, Guilherme Leão, janeiro, fevereiro e março, principalmente, são meses em que a indústria normalmente contrata e o que está acontecendo agora em Minas Gerais é justamente o oposto.

O estudo divulgado pela Fiemg também aponta que os empresários não estão satisfeitos com as condições financeiras das empresas (39,4 pontos em março). A satisfação com a margem de lucro e com as condições de acesso ao crédito também foi negativa, enquanto que em relação ao custo da matéria-prima o indicador bateu na casa dos 72,2 pontos, indicando insatisfação quanto à elevação dos preços dos insumos e outros custos, como água e energia.
A elevada carga tributária, que era apontada desde o início da série histórica como principal problema enfrentado pelas empresas, caiu para o segundo lugar no ranking das preocupações, com 36,6%, cedendo lugar à demanda interna insuficiente, com 43,6%, o que, para o economista, reflete a situação nacional.

Confiança – Já o Índice de Confiança do Empresário Industrial de Minas Gerais (Icei/MG) para abril ficou negativo em 35,7 pontos, 2,3 pontos acima do indicador de março. Porém, o estudo mostra que os industriais mineiros continuam mostrando insatisfação diante das condições atuais de negócio (35,7 pontos).
A insatisfação cresce ainda mais quando se trata da economia brasileira (15,4 pontos) – pior taxa da história -, da economia do Estado (20,1 pontos) e até da própria empresa (31,6 pontos). No que se refere às expetativas para os próximos seis meses, o índice também ficou negativo, em 40,1 pontos.

Fonte: Jornal Diário do Comércio